O que a escritora inglesa Emily Brontë (autora de O morro dos ventos uivantes) e o brasileiro Castro Alves (o “poeta dos escravos”) tinham em comum? Além do talento para a literatura, ambos foram jovens vítimas da tuberculose. Essa doença bacteriana que hoje pode ser evitada por vacina, era uma “praga” no século XIX e, infelizmente, continua a assombrar no século XXI.

A tuberculose é a enfermidade infecciosa que mais mata no planeta e a terceira no Brasil. Estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que houve em 2015 aproximadamente 10,4 milhões de casos e 1,4 milhão de óbitos. Quase 90% dos registros se concentram em 30 países, entre os quais o Brasil, que ocupa o 20º lugar no ranking da doença. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), foram registrados 68 mil novos episódios e 4,5 mil mortes em 2015. Apesar de ainda elevados, os números vêm caindo progressivamente nos últimos anos.

Causada pelo Mycobacterium tuberculosis, a doença não afeta apenas os pulmões, mas também ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro). Os sintomas da tuberculose ativa do pulmão são tosse, às vezes com expectoração e sangue, falta de ar, dores no peito, fraqueza, perda de peso, febre e suores, principalmente ao final do dia. Pessoas saudáveis e infectadas podem não apresentar sintomas, mesmo assim transmitem a bactéria.

A tuberculose tem cura. O tratamento gratuito é feito com uma combinação de medicamentos e dura meses, mas promove melhora rápida. Por conta disso, muitos pacientes negligenciam a medicação, o que contribui para o surgimento de formas mais resistentes.

coef incidencia tuberculose 1990 2015

coef incidencia tuberculose idade 2001 2015

coef mortalidade tuberculose 1990 2015

Gráficos demonstram que chances de infecção e morte por tuberculose aumentam de acordo com a idade. Verifique se a sua carteira de vacinação está atualizada.

Transmissão:

De uma pessoa para a outra através de gotículas de saliva da garganta. O compartilhamento de objetos não oferece risco. Pessoas com sistema imunológico comprometido têm mais chance de desenvolver a doença, em especial de forma grave e generalizada.

Para prevenir, principalmente as formas graves (meningite tuberculosa e tuberculose disseminada), é necessário vacinar todas as crianças a partir do nascimento até 4 anos de idade.

Vacina disponível:

BCG

Saiba mais:

http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/fevereiro/21/Apresentacao-sobre-os-principais-indicadores-da-tuberculose.pdf (último acesso em 14/08/17)

http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2016/outubro/15/panorama_tuberculose_brasil_mortalidade.pdf (último acesso em 14/08/17)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn